Vencedor Prémio Novos Talentos Ageas 2018 conhecido a 4 de maio

É já no próximo dia 4 de maio, às 18h, na Casa da Música, que se ficará a conhecer o vencedor da segunda edição do Prémio Novos Talentos Ageas. Bernardo Pinhal e Sérgio de A (duo de piano), Ricardo Coelho (quarteto de jazz) e Luís Duarte Moreira (trompa) são os finalistas.

Os finalistas foram os preferidos do público, que avaliaram a performance dos artistas candidatos em cada um dos 20 concertos realizados ao longo de 2018. O vencedor em 2019, será novamente escolhido pelo público presente na Casa da Música, através de boletim de voto, num concerto final marcado para o dia 4 de maio, onde estarão
presentes os três finalistas. O Prémio Novos Talentos Ageas, uma parceria do Grupo Ageas com a Fundação Casa da Música, tem como objetivo distinguir e incentivar o trabalho de jovens músicos com idade até 35 anos e de nacionalidade portuguesa ou com residência em Portugal, de todos os géneros musicais, nas áreas da criação, interpretação e/ou desempenho em palco, e promover projetos artísticos de reconhecida qualidade.

Na edição de 2017, Horácio Ferreira foi o vencedor da primeira edição do Prémio Novos Talentos Ageas. O jovem clarinetista, que interpretou Grand Duo Concertant, de C. M. von Weber, e Shalom Aleichem, Rov Feidman, de B. Kovács, acompanhado pelo pianista Bernardo Soares, reuniu o maior número de votos do público.

"Esta parceria é mais um passo do Grupo Ageas Portugal na dinamização cultural do nosso país. Os Prémios Novos Talentos Ageas são um dos bons exemplos da nossa aposta heterogénea na cultura portuguesa de norte a sul do país . São também uma das iniciativas da Ageas no apoio a jovens talentos, que estendemos a outras áreas tais como as artes, a literacia, projetos sociais ou mesmo na área do deporto", refere Inês Simões, Diretora Comunicação Corporativa e Marca do Grupo Ageas Portugal.

Sobre os Finalistas:

Bernardo Pinhal

Começou a tocar piano aos cinco anos. Terminada a licenciatura na ESMAE - Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, no Porto, foi-lhe atribuída uma bolsa de estudos para a Escola Superior de Música Reina Sofía, em Madrid. Em 2016, concluiu o Mestrado em Performance, em Basileia, como bolseiro da Fundação Gulbenkian. Foi vencedor de vários concursos, destacando-se o Concurso Marília Rocha (2009), o Concurso Internacional do Fundão (2010) e o Concurso de Santa Cecília (2013). Obteve o 2º Prémio no Concurso Internacional de Piano de San Sebastián (2011), o prémio especial EMCY (European Union of Music Competitions for Youth) e o 2º prémio no Concurso Jovens Músicos, em 2014.

Sérgio de A

Licenciado pela ESMAE com a classificação máxima. Vencedor do Prémio Helena Sá e Costa, do Prémio Maria Campina e, mais tarde, do Prémio de Melhor Pianista Acompanhador do Concurso de Canto Rotary Club, Sérgio de A tem vindo a desenvolver uma atividade eclética como concertista, com presença em Portugal, Espanha, França, Itália, EUA e Rússia. Integrado em agrupamentos de música de câmara, participou em festivais como Appuntamenti de Roma ou Sons do Universo na Sala Rachmaninoff em Moscovo, bem como no Museu Gulbenkian ou na Casa da Música, entre outros.

Ricardo Coelho

Licenciado pela ESMAE em Vibraphone Jazz. Como performer, integra projetos de diferentes raízes, como MINA, Capicua, Diana Martínez & the Crib, EduMundo, Rui Vilhena & os Aliados, The Mantra of the pHat-Lotus, O Grilo e a Longifolia, Renato Mont Trio, e líder do seu próprio grupo, Ricardo Coelho Quartet. Colaborou com várias orquestras, entra as quais a Sinfónica Casa da Música e a Filarmonia das Beiras. Conquistou o 3.º lugar, categoria Combo Jazz, no Prémio Jovens Músicos 2016; a Menção Honrosa de Melhor Instrumentista na 11ª Festa do Jazz do São Luiz (2013); o 2º lugar na categoria vibrafone na 6ª edição da "Giornate della Percussione" (Itália, 2008) e o 1º lugar no concurso "Tum-pa-Tum-pa" (2007).

Luís Duarte Moreira

Licenciou-se pela ESMAE com a classificação máxima. Recebeu o 1º Prémio no Concurso "Terras de La Salette" nas categorias Júnior e Sénior, o 2º Prémio no Internationaler Instrumental wettbewerb Markneukirchen (Alemanha, 2016) e o 1º Prémio na categoria superior de Trompa no Prémio Jovens Músicos (2017). É membro fundador do Quinteto de Sopros Klaue, com o qual obteve o 2º Prémio no Prémio Jovens Músicos (2015), na categoria superior. Colabora com várias orquestras, como a Filarmonia das Beiras, Metropolitana, Gulbenkian, Sinfónica Casa da Música e Sinfónica da Galiza. Encontra-se a finalizar o Mestrado em Performance na Hochschule für Musik Hanns Eisler em Berlim, como bolseiro da Fundação Gulbenkian.

Saiba mais em: www.grupoageas.pt/sobre-o-grupo-ageas/parcerias-epatrocinios/casa-da-musica/premio-novos-talentos-ageas-2018

 

Partilhe esta notícia

Achou o conteúdo desta notícia útil?